É apenas mais um dia de escola para Zack Lightman. Ele está sonhando acordado através de mais uma aula chata de matemática, faltando apenas mais um mês para sua formatura e liberdade – isso se ele conseguir passar esse tempo sem ser suspenso novamente.

E então, ele olha pela janela da sala de aula e avista um disco voador.

Randômicos

Leituras da Semana

O que estamos querendo ler

Armada

  • Lucas Albuquerque

    Olá Pessoal,

    Primeiro quero agradecer e dizer que fiquei muito feliz de poder contribuir, além de ter a feliz surpresa de “ver” meu nome citado! 😛

    Agora falando sobre o Ernest Cline, comecei a ler o Ready Player One e estou adorando! como nasci em 1979, todas as referencias usadas do livro são extremamente familiares para mim!

    Antes de terminar, tenho uma sugestão para vocês, mas vou mandar por e-mail, se não se importam. 😉

    Abraço aos dois, e continuem assim!

    Lucas

    • Beleza, Lucas?
      Imagina, nós é que ficamos feliz com seus comentários e sugestões. É ótimo sabermos no que estamos acertando ou errando e, como sempre, sinta-se à vontade para dar suas sugestões!
      Ah, sim, eu vi no Goodreads que você está lendo Ready Player One, e que bom que você está gostando! Como mencionamos nos casts, esse livro é um deleite para as “crianças dos anos 80~90”, com um banho de saudosismo e menções à cultura pop colocadas de maneira sutil dentro de uma história cheia de reviravoltas.
      Aliás, nós recebemos o seu e-mail e responderemos num podcast muito em breve!

  • Lucas Rafael Ferraz

    Oi amigos!

    Sobre o lance de localização que vocês citaram, algumas editoras não prestam atenção nisso e é foda mesmo, fica uma merda.
    Estou lendo Um Novo Amanhecer, primeiro livro do novo UE de Star Wars, de John Jackson Miller, e no livro há diálogos muito informais e com gírias, e isso foi traduzido lindamente, e “localizado” muito bem, os diálogos soam muito naturais e brasileiros mesmo.
    Sobre edição, com certeza faltou uma revisão de tradução e um trabalho de copidesque. A revisão de tradução é importante para justamente tratar traduções que saíram muito literais e precisa ser adaptada para a realidade brasileira, e o copidesque serve para realmente adaptar aspectos da história para a realidade local.

    Sobre a trilogia dos espinhos, eu nunca entenderei. Sério.
    É uma escolha estranha, que não faz o menor sentido na minha cabeça. Gostaria de saber o porque da Darkside fazer isso.
    A Darkside é legal, tem livros ótimos, mas os preços…. A trilogia dos espinhos sai lá pela casa dos 60 reais por livro! E não tem ebook!!

    Eu estou interessado nessa série, de forma que comprei o primeiro ebook para meu kobo por 17 reais.

    Abraços!

    • Fala, Lucas!
      Eu considero essa falta de cuidado com erros de tradução por parte das editoras um tremendo desrespeito para com os consumidores (detesto usar esse termo para designar leitores, mas infelizmente é dessa maneira que somos vistos). É claro que não vou deixar de comprar livros por causa do livro que mencionei, mas é bastante triste ver o descaso com que são tratadas traduções de livros… e até mesmo títulos produzidos no Brasil.
      Com relação ao preço da Trilogia dos Espinhos, talvez a Darkside tenha decidido fazer esta escolha justamente para não perder o “impacto sonoro” do título original? A única coisa que acho efetivamente ruim na decisão da editora é a confusão que ela causa em quem gostaria de adquirir a série em inglês por qualquer que seja o motivo. Fazer o quê?
      Quanto ao preço, o jeito é apelar para a versão digital ou ir acumulando pontos em algumas livrarias e adquirir o livro com um desconto… ou no seu caso, já que você lê em inglês, adquirir por sites internacionais (e rezar para que o dólar não suba ainda mais!). Triste realidade!

Copyright Agentes do L.I.V.R.O. © 2014-2017