Downloads:

Longos dias e belas noites sai! Hoje Melanie e Thiago falam sobre o primeiro livro da série que motivou este podcast: A Torre Negra.

E não se esqueça de deixar recadinho, crítica ou pergunta na nossa página do Facebook, Twitter ou direto em nosso email.

Blog!

It’s ALIVE! Finalmente, graças a perseverança da Melanie, nosso Blog foi inaugurado e com isso vamos tentar trazer mais conteúdo para vocês. Confira aqui a nosso blog enquanto escuta este super episódio.

Recomendações

Aqui estão algumas recomendações de livros pra você, caro ouvinte, que tem interesse em se tornar um autor:

Reading Progress

A Torre Negra – O Pistoleiro

  • Thiago Henrique da Silva

    Estou com 87% deste livro lido… To correndo pra terminar pra conseguir ouvir este podcast… A história está interessante, mas não vai entrar num dos meus favoritos com certeza… Acho que por enquanto estou muito mais no crédito que dou para o stephen king do que para a qualidade do livro… Bom, vamos ver o final e o que vcs acham… Terminando o livro volto com perguntas pra vcs! Abraços!!!

  • Thiago Henrique da Silva

    Pronto! Terminei o livro (há alguns dias…) e terminei o podcast. Vou dar minha opinião sobre alguns pontos do livro, tenha em mente que só lí o primeiro, ou seja, posso falar muita besteira aqui. E outro coisa, VAI TER SPOILERS PRA QUE NÃO LEU O 1 LIVRO!!, Leia por sua conta e risco.
    Confesso que li o livro pelo crédito que o Stephen King tem comigo e por causa da empolgação de vocês, fiz melhor que isso na verdade, desafiei outras duas pessoas do meu time a começar a leitura. (neste momento uma está na metade do primeiro, e a outra está começando o 3 livro).
    Apesar de a história ter o objetivo de apresentar como Holland se tornou o pistoleiro, tendo vários flashbacks contando sobre a sua jornada até aí, só me interessei de verdade pela história no ultimo capítulo (o capítulo 5), onde ele finalmente confronta o seu adversário. Achei muita coisa confusa no decorrer do livro, mas segui adiante pensando que isso seria explicado mais pra frente.
    * A cabana com o corvo -> Achei a parte mais sem graça do livro, focado demais na desconfiança (justificada!) dos personagens, e que só serviu para contar a história de Toll. A história da cidade prometia muita coisa, mas achei que ficou enrolando e não me prendeu sabe… Parecia que faltava “liga” ali, fiquei imaginando que ele iria explicar o número 19, mas, após a carnificina que aconteceu, a história termina e fiquei vendido neste assunto.
    * Jake -> Assim como na cabana, achei meio vago, meio que impressão que tive é que o Holland não está nem ai para saber dos personagens que ele cruza no caminho, e, se eles não tomarem uma atitude de explicar a histórias deles, não teríamos história. Jake parece ser um personagem que vou voltar a ver nos próximos livros, e confesso que gostei muito dele. Nesta parte do livro realmente comecei a acreditar nos tais “demônios” que são tão temidos nos capítulos anteriores e até pelo Jake. Mas Holland simplesmente não se abala, ou não está nem aí.
    * Base da Montanha/Oráculo -> Convenhamos, o que parecia um lugar de paz era uma armadilha maldita para aquele simpático oráculo kkkk. Acredito que o único ponto que gostei aqui foi o diálogo que o Thiago leu no cast, sobre o que vem pela frente, e o que imagino estar no livro 2. Fora isso, mais nada.
    * Montanha -> A parte de dentro da montanha só se tornou interessante pra mim na hora que eles chegam naquela estação onde encontram pessoas meio que mumificadas (não encontrei outra palavra), este pedaço deu asas a minha imaginação, sobre que lugar era aquele. Não gostei nenhum pouco dos tais “Vagos Mutantes”, tive a impressão que foram colocados apenas para tentar deixar a jornada um pouco mais emocionante. O final da jornada, quando Holland deixa Jake morrer (??) foi o ponto alto deste capítulo, mas não chega aos pés do ultimo.

    * Ultimo Capítulo -> O ultimo capítulo explodiu minha mente, está claro que Holland não consegue matar (ou não deve…) o seu rival, o diálogo apresentado neste capítulo me impressionou dada a sua profundidade em relação ao ponto de vista de cada um. “tudo no universo rejeita o nada; sugerir um término é o único absurdo que existe”… WOW. E depois disso teve o sonho, só pra mostrar o tamanho do adversário (será?) que ele irá enfrentar, e quando pensamos que tudo acabou ele acorda, 10 anos depois (entendi isso pelo menos…) e entendemos que o que ele vivou em poucas páginas atrás, já era!, 10 anos se passaram e isso é visível tanto no esqueleto do seu algoz, quando na própria fisionomia do Holland. Na minha humilde opinião, o melhor capítulo do livro e o mais claro de se entender (sei que muita gente não vai pensar assim…)

    Conclusão: vou começar a ler o segundo livro e quero ver onde vai dar. Não daria mais que 3 estrelas por este livro, e muito desta nota está no crédito infinito de King e no respeito a opinião de vcs dois.

    Enfim, já falei demais huahuahauhauhua… vcs concordam comigo? Ou discordam?

    Abraço e continuem o excelente trabalho!!!

    • Como é interessante ver as mesmas frustrações que tive quando lia o primeiro livro. Mas para não estragar a sua experiência vou pincelar algumas coisas nas entrelinhas do primeiro livro:

      * Como você disse, o Roland não parece se importar com nada ou ninguém, mas em alguns pontos isso não é verdade como, por exemplo, com a Ally e com o Jake. Então o que motiva o pistoleiro a ter essa atitude? Algo que o livro deixa claro mais pro fim é que a missão de Roland é encontrar a Torre Negra e esse é a única missão que realmente importa na vida dele (mesmo ele não sabendo o porque)! Então aqui você pode começar a entender o quanto a Torre é importante pra fazer um “nobre” pistoleiro, em algumas ocasiões, escolher a missão dele no lugar de uma vida.

      * Sobre a “desconfiança” na parte da cabana da pra imaginar o quanto o mundo mudou pra que um pistoleiro não seja mais reconhecido (ou temido) quanto deveria, e por falar em mundo, que mundo é esse que o Roland vive, seria o nosso mundo no passado/futuro?

      * A parte dos Vagos-Mutantes, acredito eu, que é para ilustrar o que esse mundo novo está fazendo com os seres humanos. Conforme você for conhecendo o mundo melhor você vai ver que esses mutantes nem são tão estranhos assim 🙂

      Agora que você vai começar o livro dois se prepare porque você vai começar a história em si!

      • Thiago Henrique da Silva

        Aloha Thiago, obrigado pela resposta. Imagino que estou na trilha certa então! Sobre o mundo que ele está, acredito que seja algo de universo paralelo ou algo assim (pensei muito isso quando Rolland é Jake estão na estação de trem dentro da montanha, e fala sobre os vários trilhos, que parecia que ligava “outros mundos” ali… Sei lá.. Acabei viajando nesta parte rs).
        Vou mergulhar no segundo livro então!
        Abraços!!!

  • Paulo Viana

    Eu comecei o terceiro, mas faz tempo que deixei de ler essa “saga”. Vou retomar a partir do primeiro.

    Assisti o filme “o nevoeiro” e vi a pintura do pistoleiro, mas no podcast eu pensei ter escutado que ele aparecia em algum momento (quando alguém abre uma porta).

    Parabéns pelo podcast. Muito bacana.

  • Andre Garcia

    Vcs realmente ganharam um novo fã. Queria dizer que eu li O PISTOLEIRO e fui o ponto fora da curva, eu gostei bastante do livro, ja fui pegando o segundo livro pra ler na sequencia e é ai que comigo foi diferente, eu nao gostei do segundo livro, nao consegui nem terminar, quero muito terminar A TORRE NEGRA sou muito fã de Stephen King. Será que fui só eu q nao gostei do segundo livro? Será q melhora?

    • Olha, Andre, até agora eu só conheci você que preferiu o 1o ao 2o livro :P. Mas gosto é assim mesmo, relaxa!

      Mas vamos ver o que vai ser… primeiro, me diga aí, por quê você não gostou do segundo livro? O que fez com que você o largasse?

      • Andre Garcia

        Cara acho que eu fui o unico mesmo. Eu quero terminar a torre negra sou muito fã de Stephen King, acho que nunca tinha desgostado de nenhum livro dele até A ESCOLHA DOS TRES, acho que eu tava esperando outra coisa, aquele lance de ficar entrando num portão e viajando no tempo me causou muita estranheza. Eu nao terminei o livro, talvez falte alguma informaçao que melhore o livro para mim, mas com certeza eu vou terminar, no momento to lendo NOVEMBRO DE 63 tbm do King, acabando esse vou terminar A ESCOLHA DOS TRES, e ja faço a cobrança do cast desse livro que vcs prometeram rsrsrs. Falou um abraço

  • Heverton Daniel

    Eu estava pensando em ir comprando os livros aos poucos porque eu queria ter cada livro na edição normal e não na edição econômica, eu só tinha o primeiro e o segundo livro. Daí quando eu vi que todos os outros livros restantes estavam muito caros e o preço não estavam ficando baixos eu peguei e desisti dessa de querer ter todos os livros em edição normal e comprei todo o resto dos livros que faltavam na edição econômica (com exceção do terceiro livro, pois estava esgotado na loja em que comprei).
    Apostei fortemente nessa série com boas expectativas, isso pelo fato de ouvir vocês falarem tão bem dessa série em quase todos os episódios do podcast.
    E como essa série é composta por livros com preços atualmente caros, eu ainda não consegui comprar o terceiro livro, que já vi o seu preço chegar até r$ 80. Mas com a mesma força e fé que tive para conseguir todo o resto dos livros, eu terei também para conseguir comprar o terceiro, espero tê-lo logo antes de começar o primeiro da série ou se eu não me aguentar, antes de terminar o segundo…

    • Hm… eu diria assim, Heverton, não vá com muita sede ao tacho, a série dA Torre Negra é Hit or Miss para muita gente. Uma coisa que aconteceu comigo e com o Thiago foi que a gente comprou um box com os quatro primeiros livros, leu o primeiro, achou meia boca e pensou “ah, como eu já estou com o resto dos livros aqui, vou ler. Não tenho nada a perder mesmo…”. Por um acaso, acabamos gostando MUITO do segundo livro e daí pra frente só melhorou. MAS já vi um caso de uma booktuber que gosto muito ler o primeiro livro e não ter gostado, em seguida ler o segundo livro e dizer “os fãs que me desculpem, mas eu não pretendo continuar a ler a série porque não dou a mínima para o que acontece com o pistoleiro”. E pode acontecer mesmo, não acho que essas pessoas estejam com problema. Eu já aviso isso porque no Brasil essa série é bem cara mesmo e pode acabar não compensando se você não gostar dos dois primeiros livros.

  • Arthur Oliveira Alves

    Diferente da maioria quando eu li o pistoleiro a uns quinze anos atras eu gostei bastante do livro embora não soubesse na época o quão grande é a serie e nem tinha lido o segundo livro.

  • João Farias

    Sempre que eu imagino o Trailer do Pistoleiro, essa cena que o Jake cai, é o fim do trailer.

  • Timóteo Rezende Potin

    Vou ressuscitar esse post aqui para falar que esse foi o primeiro livro que eu li totalmente por influência de vocês. Óbvio que eu já tinha ouvido falar da Torre Negra antes, mas essa foram vocês que me convenceram a colocar na lista de leitura e finalmente, ler.
    E hoje, depois de mais de um ano que eu conheci o cast eu pude escutar a parte dos spoilers desse episódio. Já tinha ouvido tanto tipo de crítica acerca desse livro que eu estava preparado para ler um livro terrível, mas até que a experiência não foi ruim. Óbvio, não foi o melhor livro do ano, mas não foi uma leitura terrível, como alguns apontavam. Só não achei muito empolgante, mas por outro lado, intriga bastante.
    Achei o embate entre o Homem de Preto e o Pistoleiro bem curioso, como ele repete toda a profecia do Oráculo e tal. Pra mim foi o ponto alto do livro. E curiosamente adorei esse final totalmente vago. Espero ler pelo menos os livros 2 e 3 esse ano ainda para tentar seguir a leitura no ritmo do cast a partir do ano que vem.
    Long days and pleasant nights, Agentes!

    • Completamente em off: Timóteo, aquele comentário que você deixou no episódio 73 sumiu do Disqus e eu fiquei indignada porque era um comentário ótimo. Por sorte, temos o backup. Você se importa se a gente ler e responder no próximo episódio?

      Agora, quanto ao seu comentário a respeito do livro, primeiramente, parabéns pela coragem de encarar o primeiro livro da série. Por mais que a gente a ame, é o tipo de série que a gente não costuma recomendar porque… bem, haja paciência! Entendemos que o começo é lento e completamente sem sentido, mas… confia no King e vai! Como o Thiago diz, o primeiro livro, no final de contas, é um prólogo gigante. Força para ler os livros 2 e 3! Se você conseguir gostar do livro 2, garantimos uma jornada bem bacana nos livros seguintes! 😀

      • Timóteo Rezende Potin

        Sem problemas, Melanie!

Copyright Agentes do L.I.V.R.O. © 2014-2017