Leituras de Maio (2018)

6 de novembro de 2018

Vocês já acordaram um dia querendo ler todos os livros já escritos na face da Terra? Eu não, mas considerando o número de livros que eu li em Maio, é essa a impressão que dá. Não sei o que houve na minha vida (mentira, sei sim: eu fiz uma carteirinha da biblioteca pública), mas Maio foi um mês em que eu concluí a leitura de uma quantidade absurda de livros. Vamos a eles!

A Court of Thorns and Roses (Sarah J. Maas)
Avaliação: ★★★☆☆
Eu não sei quais foram os motivos que me levaram a ler este livro, visto que não sou TÃO fã assim da Maas e meio que já sei o que esperar das histórias dela, mas mesmo assim resolvi ler este aqui. Ele foi talvez um pouco além do que eu esperava, mas todos os elementos que caracterizam as histórias dela estão presentes: protagonista versada no uso de armas, triângulo amoroso, vilã invejosa. Quase dá para fazer um bingo!

Grain Brain: The Surprising Truth about Wheat, Carbs, and Sugar–Your Brain’s Silent Killers (David Perlmutter)
Avaliação: ★★★☆☆
Este livro me deixou um pouco decepcionada, para falar a verdade. Eu gosto muito de ler livros sobre como funciona o cérebro, mas esse livro essencialmente culpa todos os males do universo no gluten e, pessoalmente, eu não acredito que o único culpado por problemas de cognição e memória devam ser todos completamente atribuídos ao gluten.

Aniquilação (Jeff Vandermeer)
Avaliação: ★★★☆☆
Esse livro esteve em hype na época em que eu o li porque o filme baseado no livro estava para sair. Ele também foi a escolha do Clube do Livro do qual faço parte. Apesar do autor ter feito um trabalho muito bom com o desenvolvimento do mundo, tornando-o extremamente intrigante e atmosférico, esse não foi um livro do meu gosto.

Walk on Earth a Stranger (Ray Carson)
Avaliação: ★★★★★
Taí um livro que me surpreendeu positivamente! O pessoal do YouTube geralmente “vende” esse livro como a história de uma garota que tinha o poder de detectar ouro, mas eu sinto que o livro é muito mais do que isso. Ele se passa na época da corrida pelo ouro dos Estados Unidos, mas a história é essencialmente de um um grupo de pessoas de diferentes origens e com diferentes objetivos passando pela tão consagrada e terrível Trilha de Oregon. Sim, temos uma protagonista extremamente interessante, mas talvez tão interessante quanto ela seja a maneira como ela interage com os outros personagens e como ela lida com as dificuldades da viagem e com os próprios dramas. É uma jornada incrível, cheia de tensão e conflitos morais. Não vejo a hora de ler o segundo livro!

Spaceman: An Astronaut’s Unlikely Journey to Unlock the Secrets of the Universe (Mike Massimino)
Avaliação: ★★★★★
Mais um livro excelente! Massimino conta neste livro sua jornada pessoal para se tornar um astronauta e comenta a ironia da própria vida quando diz que participar de um capítulo de The Big Bang Theory alavancou o nome dele muito mais do que consertar um problema crítico em um satélite em órbita sem as ferramentas necessárias e com limitação de tempo. O autor não se prende muito a detalhes técnicos e dá um bom panorama de tudo que é necessário para se tornar um astronauta. Livro interesantíssimo, vale a pena dar uma conferida!

All Systems Red (Martha Wells)
Avaliação: ★★★☆☆
Um livro com um potencial fantástico que acabou sendo desperdiçado pela execução. Aqui temos como protagonista uma entidade robótica com a consciência de um ser humano… ou era isso que parecia ser a história. Infelizmente, o personagem principal acaba sendo bem inconsistente e por muitas vezes soa muito como um adolescente mimado que não quer nada com a vida. Seria aceitável se essa fosse uma história YA, mas não é o que acontece. As três estrelas foram muito mais pela idéia do que pelo livro em si. Infelizment, não pretendo continuar a ler a série.

Ask More: The Power of Questions to Open Doors, Uncover Solutions, and Spark Change (Frank Sesno)
Avaliação: ★★★☆☆
Pessoas que têm problemas com interação social: este livro é para vocês!

Alien: Out of the Shadows (Tim Lebbon)
Avaliação: ★★★☆☆
Eu nunca vi o filme Alien, então imagino que eu não tenha me aproveitado completamente da história, mas imagino que ele seja um prato cheio para fãs.

Circe (Madeline Miller)
Avaliação: ★★★★★
The Song of Achilles foi um dos meus livros preferidos do ano passado e desde então eu tenho prestado atenção em tudo que a Madeline Miller publica. Circe não foi tão bom quanto The Song of Achilles, mas ainda assim foi um livro ótimo! Eu adoro o estilo de escrita da autora, que descreve tudo com delicadeza e ao mesmo tempo vivacidade. Ainda que os personagens do livro sejam essencialmente representações de deuses gregos sob o ponto de vista dela, Miller dá uma cor diferente a seus egos, ações e temperamentos. Eu REALMENTE espero que ela tenha mais entidades da mitologia grega em seus planos!

Every Day (David Levithan)
Avaliação: ★★★★★
Taí outro livro que esteve no meu radar há um tempão e eu só não li porque fiquei colocando um monte de livro na frente dele. É claro que eu adorei essa leitura. David Levithan é outro autor em quem eu tenho tentado prestar muita atenção. A escrita de Every Day é maravilhosa e o conceito do livro em si é interessantíssimo. Basicamente, ele é narrado por um uma entidade que acorda em um corpo diferente a cada dia e, em um desses “despertares”, acaba se apaixonando por uma garota. E aí? Como ele vai fazer para se encontrar com essa mocinha novamente?
E para quem se interessar, tem um filme baseado nesse livro!

Six Earlier Days (David Levithan)
Avaliação: ★★★★☆
Esta é uma short-story que se passa antes das coisas que acontecem em Every Day. Não é a melhor obra do Levithan, mas é um bom complemento para Every Day.

E para fechar o post de hoje, a leitura que eu abandonei em Maio foi The Bone Season (Samantha Shannon). Eu sempre tento ir com a mente aberta para distopias e a premissa de The Bone Season não é de toda ruim, mas quando eu estava lendo a história, eu tive a sensação de estar lendo um apanhado geral de todos os YA distópicos que eu já li anteriormente, mas desprovido de tudo que deu graça a eles. Ele tem uma colherada de Jogos Vorazes, outra de Divergente, outra de Sombra e Ossos, mas não consegue ser um livro interessante por si só. O estilo de escrita em si não é ruim, mas também não é tão bom que me faça querer saber o que acontece com a protagonista. O romance é praticamente o que Sombra e Ossos teria sido se fosse escrito pela Sarah J. Maas. E não se enganem, eu não odiei o livro; só não gosto dele o suficiente para querer continuar lendo.

E o ano está quase acabando, caríssimos! Para quem estipulou uma meta no Goodreads, falta muito para alcançá-la? Deixem-nos seus comentários!

Copyright Agentes do L.I.V.R.O. © 2014-2017