Top 10 de 2017

28 de dezembro de 2017

Estamos nos aproximando do final de 2017 e, devido a circunstâncias além do nosso controle, não poderemos fazer o nosso já consagrado top 10 do ano. Uma pena, porque esse foi o ano em que mais lemos, então escolher os dez que mais nos marcaram foi uma coisa bem interessante! Mesmo assim, enquanto o Thiago se aventura pelas águas turvas que é ser pai de primeira viagem, eu vou postar aqui os dez livros que mais me marcaram este ano! Grande parte deles ainda será mencionada em episódios futuros, então vou me abster de falar mais aprofundadamente de cada um deles.

Pior livro de 2017
Não dá para falar de livros bons sem mencionar aquele vaso ruim no meio das suas porcelanas, então vou começar falando do livro que eu menos gostei. O “prêmio” vai para Journey to the West vol. 4, do autor Wu Cheng’en. Esse é um livro que me deixa relativamente triste de não ter gostado, porque ele é um dos quatro grandes clássicos da China, juntamente com O Romance dos Três Reinos (que eu já li e pelo qual sou absolutamente apaixonada), Os Foragidos da Margem e Sonho do Quarto Vermelho. Felizmente, não sinto obrigação nenhuma em gostar de um livro só porque ele levou o título de “clássico”. Depois de ter sido obrigada por anos a ler muitos livros que não eram de meu interesse, eu me vejo no direito de querer ler para me divertir, então… ficou aí o veredito! O livro A Jornada ao Oeste é gigantesco, dependendo da edição, ele pode passar de 2 mil páginas, mas é uma história extremamente repetitiva, em que todos os personagens que não são o Sun Wukong parecem nunca evoluir ou aprender nada.

Mas chega de falar de coisas ruins, vamos agora falar de coisas boas!

10. A Lógica Inexplicável da minha vida, por Benjamin Alire Saenz
O sr. Saenz está se tornando página a página meu autor preferido. Esse livro é um daqueles que dá um quentinho do coração depois que você lê. Novamente, temos aqui um retrato maravilhoso de uma saudável relação em família e a bela prova de que casa é onde seu coração está. Chorei, ri e me diverti demais com essa história.

9. A Música do Silêncio, por Patrick Rothfuss
Enquanto o terceiro livro não sai, a gente vai matando a vontade como dá, né? Gostei desse livro mais por ele ter sido uma experiência inesperada do que pela história em si. Isso sem contar que a Auri é uma personagem maravilhosa. Adorei ter conhecido um pouco mais sobre o universo das Crônicas do Matador de Rei do ponto de vista dela!

8. A Canção de Aquiles, por Madeline Miller
Essa foi recomendação da Isa Prospero, e eu não me arrependo por um único segundo de ter lido essa história. Que escrita linda, que experiência fantástica. Não sei como o Patroclus é retratado em outros pedaços da literatura grega, mas a maneira como a Miller o retratou faz dele a coisa mais fofa do mundo e eu torci demais por ele e sofri com ele durante a história inteira. 10/10 sofreria de novo.

7. Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo, por Benjamin Alire Saenz
Eu não falei que o Saenz está se tornando um de meus autores favoritos? Pois é, é por causa deste livro adorável! Finalmente temos também um livro sobre o qual eu já falei, então para quem estiver curioso, dê uma escutada no episódio em que falo deste livro!

6. Sol Nascente, por Michael Crichton
Okay, aposto que essa surpreendeu até o Thiago, que me conhece há mais tempo que consigo contar com os dedos de uma só mão. Quem já escutou o episódio em que falamos do livro O Enigma de Andrômeda deve ter notado naquele episódio que eu não sou muito fã do Crichton porque ele geralmente escreve personagens com os quais eu não poderia me importar menos, e por mais que o protagonista desta história não tenha sido lá a oitava maravilha do universo, a história foi extremamente intrigante. Some isso à maravilhosa narrativa do MacLeod Andrews e você tem um prato cheio para muitas horas de informação e entretenimento!

5. Minha Lady Jane, por Cynthia Hand, Brodi Ashton e Jodi Meadows
Mais um livro que já deu as caras no podcast! Esse ainda ganha um bônus por ter feito um romance bem gostosinho de acompanhar, com personagens bacanas e uma história engraçada.

4. Arcanum Unbounded, por Brandon Sanderson
Tava demorando para ele aparecer na lista, não? Mas sim, nosso caro Brandon Sanderson não podia ter ficado de fora da lista! Na verdade é até meio injusto falar desse livro, porque ele só tem dois ou três contos que eu não tinha lido anteriormente, todos os outros eu já tinha lido em edições digitais separadas. Mesmo assim, reler alguns dos meus contos preferidos do universo Cosmere (sim, estou falando de The Emperor’s Soul) só podia ter sido uma experiência formidável. E o conto Edgedancer era exatamente aquilo que eu estava esperando que ele fosse!

3. salt., por Nayyrah Waheed
Outra surpresa gigantesca nessa lista: um livro de… poesias? É isso mesmo, Melanie? É exatamente isso! Esse livro tirou da minha cabeça o preconceito bobo que eu tinha de que todo poeta é pretensioso. A Nayyrah prova que é perfeitamente possível dar profundidade a palavras simples e bem escolhidas. Ponto para ela!

2. Oathbringer, por Brandon Sanderson
Gente, que dúvida de que esse livro ia estar na lista né? QUE DÚVIDA. Mas sim, depois de tanto tempo de espera, acho que posso dizer que pude matar minha sede de Stormlight Archive (pelo menos por enquanto). Sem comentários a respeito dele por enquanto, vou guardar minhas opiniões a respeito dele para o nosso episódio especial!

1. Uma Vida Pequena, por Hanya Yanagihara
Quem duvidava que esse livro ia estar em primeiro lugar? Depois do tanto que eu falei sobre ele nos posts anteriores do blog e no meu Twitter, essa era a única conclusão possível. Ele é um livro tão bom e tão complexo e tão sofrido e tão maravilhoso que eu me sinto muito triste por não poder recomendá-lo a todo mundo, o que inclui o Thiago. Eu estou considerando seriamente reler o livro e fazer uma série de posts com discussão sobre ele aqui no blog. Preciso ver apenas se o tempo vai me permitir tão façanha!

Ufa… quanto livro bom. Eu li tanta coisa boa esse ano que agora que eu estou olhando para essa lista, sinto um certo vazio no coração. Sinto que estou sendo injusta deixando tanto livro de fora, então vou brincar um pouquinho e fazer uma sessão de…

Menções honrosas

Blood, Sweat and Pixels, por Jason Schreier: para quem gosta de games e se interessa pela parte de desenvolvimento dos mesmos, é uma ótima pedida!
The Queen of the Tearling, por Erika Johansen: este definitivamente não é apenas mais um livro YA genérico!
When the Air Hits Your Brain: Tales of Neurosurgery, por Frank T. Vertosick Jr.: esse vai para quem se interessa pelos bastidores da neurocirurgia!
The Soul of a Chef: The Journey Toward Perfection, por Michael Ruhlman: !!!!!!! OS WONTONS.
Justice League: Trinity War: então, né, DC comics, você podia fazer filmes baseado nessas histórias… ( falou aqui a que tem esperanças de que a DC faça o filme de Vilania Eterna – com o Nightwing. Eu sei que a DC não gosta do Nightwing, mas não me custa sonhar)
Pride and Prejudice, por Jane Austen: eu sei que já xinguei esse livro um monte de vezes no podcast, mas depois de assistir o filme pela septuagésima vez, eu finalmente descobri a graça desse livro e acabei gostando dele muito mais do que deveria (mas A Abadia de Northanger ainda é o meu livro preferido da Austen).
Waiter to the Rich and Shameless, por Paul Hartford: e já que já falamos dos bastidores de um hospital, por que não falarmos dos bastidores de um restaurante que só atende celebridades?
My Favorite Universe, por Neil DeGrasse Tyson: vamos também falar dos bastidores do universo!
Lolita, por Vladimir Nabokov: história escrita de forma belíssima, mas que plot incômodo, hein??
The Dispatcher, por John Scalzi: história curtinha, intrigante e maravilhosa.

E com isso, fechamos as leituras do ano com chave de ouro. E quanto a vocês? Quais foram os melhores livros que vocês leram este ano? Deixem-nos seus comentários!

Copyright Agentes do L.I.V.R.O. © 2014-2017