Preparem os cronômetros! Hoje, Melanie, Thiago e Proto respondem a tag Fogo Rápido!

Contatos

Leitura do mês

Próxima leitura…

Leituras da Semana

Tag: Fogo Rápido

Onde vimos essa tag:
Canal do MaremotoTV
Canal da Mayra (All About That Book)

  • Filipe Faria

    Olá Agentes! Tudo bem?
    Gostei bastante do episódio, foi bem leve e divertido. Foi legal os comentários que vocês fizeram sobre as perguntas e opiniões sobre livros que foram colocados no meio disso com naturalidade, acho que vocês poderiam fazer programas assim mais vezes. E eu sou a favor de o Proto aparecer mais!
    Ansioso pelos próximos episódios anunciados. Tinha começado A Torre Negra em 2014, só que tinha achado o primeiro livro só legal e não tive motivação para continuar. Só ano passado resolvo retomar e li o segundo e o terceiro livro. Só agora depois de As Terras Devastadas que eu realmente fiquei empolgado para terminar a saga, é um livro muito bom e me deixou muito curioso com o que vem pela frente. Quero terminar a série esse ano.
    Sobre Alcatraz, já estava na minha meta de leitura desse ano, estava planejando ler no meio do ano. Mas quando vocês anunciaram que teria um episódio sobre a série toda resolvi começar logo para ler tudo antes do episódio. Estou lendo paralelamente com The Way of Kings (por que Sanderson nunca é demais) e estou no final do primeiro livro. É muito engraçado! Obrigado por terem me feito ler antes 🙂
    Parabéns pelo ótimo episódio, vocês são demais!
    PS: Quando sai o episódio da Era 2 de Mistborn?

    • Fala, Filipe!

      Que bom que gostou do episódio! A gente tem evitado episódios de tag porque achou que vocês não curtiam muito (e porque, depois de um certo tempo, eles soam um pouco repetitivos), mas sempre que encontrarmos alguma tag mais diferente, vamos trazê-la para vocês!

      Com relação à Torre Negra, essa é uma série que PROVAVELMENTE só vai ter um episódio por ano. Não tanto porque os livros são longos, mas porque tem tanta coisa sobre a qual a gente quer falar que pensamos que talvez fosse ficar meio exaustivo fazer vários episódios em seqüência (mesmo porque a gente meio que já fez isso com os livros do Sanderson). Eu diria assim: se você achar que está procrastinando muito a série, não se preocupe, a cada ano a gente dá uma motivada com um episódio inteirinho para um dos livros!

      No mais, o episódio da segunda era de Mistborn sai assim que o Brandon publicar o último livro! Não estamos enrolando, o Thiago na verdade provavelmente está subindo as paredes para fazer um episódio sobre ele, mas eu fui a chata que não gostou TANTO assim da “segunda temporada” e não conseguiu reunir coisa o suficiente para discutir no podcast. Mas não se preocupe, ele não será esquecido! 😀

  • João Farias

    Falando de honestidade biográfica, quão honesto vocês acham que o Kvothe tá sendo na história dele?

    • Depende. Na minha opinião, o Kvothe está sendo 100% honesto com relação à maneira como ele enxergou as situações. Afinal de contas, é meio difícil ser impessoal num relato “auto-biográfico”. Tudo o que ele pensa e a maneira como as coisas se desenrolaram são retratadas de um jeito honesto no que tange como as coisas estão sob o ponto de vista dele. Agora: ele está mentindo ou engrandecendo algumas das coisas que ele fez? Com certeza! Inclusive, quando comentamos sobre o livro O Temor do Sábio, o Proto mencionou uma coisa que eu acho bastante relevante com relação a isso: o Kvothe omite as coisas que eles não julga interessantes. Dá para culpá-lo? Bem… você gostaria de parecer o vilão da sua própria história?

      Encurtando a resposta, sim e não. O Kvothe está sendo honesto expressando seu próprio ponto de vista, mas não está sendo verdadeiro com relação ao que aconteceu de fato. Mas, é claro, posso estar errada!

      • João Farias

        Uma vez tive uma discussão de que talvez ele pudesse estar diminuindo algumas coisas. Não contando totalmente a verdade de certas coisas intencionalmente. Talvez por vergonha ou algum outro motivo. Eu tendo a achar que a história que ele conta ao Cronista pode ser diminuída, ao invés de se engrandecendo.

    • Felipe Proto

      O Rothfuss uma vez disse em entrevista que o “Kvothe está sendo completamente honesto com o que aconteceu, mas ele não viu tudo o que estava acontecendo no mundo”.

  • Kenichi Edilan

    Oi, meu nome é Edilan Patrick e essas são minhas respostas:
    – E-Book ou Livro físico?
    Físico, respeito ebooks, mas ainda tenho fetiche de pegar um livro e cheirá-lo
    – Capa comum ou capa dura?
    Tanto faz, capas duras são bonitas, mas a maioria é horrível para ler, fica estalando
    – Livraria online ou livraria física?
    Online, na minha cidade a livraria é um corredor e os livros ficam entulhados um em cima do outro e os preços são altíssimos
    – Série ou Trilogia?
    Trilogia, por motivos de A Roda do Tempo
    – Heróis ou Vilões?
    Estou com o Proto, anti-heróis, personagens cujas decisões vão além de sua moralidade
    – Um livro que você recomenda para todo mundo ler?
    Sombra e Ossos
    – Um livro subestimado?
    A Culpa é das Estrelas, uma história que me fez pensar sobre minha própria vida
    – O último livro que você terminou de ler?
    Os Pilares da Terra do Ken Follet
    – O último livro que você comprou?
    Foram quatro: O Castelo Encantado da Edith Nesbit; Dr. Octopus, Origem do Zeb Wells; O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares; O Nome da Rosa do Umberto Eco.
    – Coisa mais estranha que você usou de marcador de página?
    Faturas de cartão de crédito já pagas ou mesmo o próprio cartão de crédito
    – Livros usados: sim ou não?
    Sim, comprei Harry Potter1, 4, 7 e O Silmarilion em sebo.
    – Três Gêneros Literários Favoritos?
    Fantasia, Ficção Cientifica e Histórica
    – Comprar ou Emprestar?
    Comprar. Não tenho o costume de pegar emprestado e empresto pra um amigo apenas.
    – Personagens ou Trama?
    Personagem. Gosto de como o autor constrói o personagem e como ele reage às situações
    – Livros longos ou curtos?
    Para mim é indiferente. Me divirto com ambos quando é uma boa história.
    – Capítulos longos ou curtos?
    Estou com o Tiago nessa, capítulos curtos, também odeio parar no meio do capitulo.
    – Os primeiros três livros que vierem à sua cabeça…
    A Hora das Bruxas, O Livro do Cemitério e Drácula.
    – Livros para rir ou livros para chorar?
    Para rir
    – Nosso Mundo ou Mundos Fictícios?
    Mundos fictícios por motivos de Terra Média…
    – Audiobooks: Sim ou Não?
    Não costumo ouvir, assimilo muito melhor lendo do que ouvindo.
    – Você julga um livro pela capa?
    Acho que é hipocrisia dizer que não, mas escolho livros mais pela sinopse que por indicação.
    – Adaptação de livro para filme ou de livro para série de tv?
    Depende do livro, Mistborn, por exemplo, adoraria ver um filme, mas Harry Potter preferia que tivesse sido série.
    – Um filme ou série que você gostou mais do que o livro?
    O Castelo Animado, gostei muito do filme e depois fui ler o livro e não curti muito.
    – Livros em série ou livros únicos?
    Ultimamente prefiro únicos. Histórias mais centradas e dinâmicas.

  • Timóteo Rezende Potin

    E aí, Agentes! Gostei da dinâmica de vocês responderem uma TAG. Não me lembro de outro cast que vocês tenham feito isso, mas o resultado ficou muito legal. Pode ter sido impressão minha, mas achei que a trilha sonora ficou um pouquinho mais alta que de costume nesse episódio, mas nada que atrapalhasse ouvir a conversa.

    O Thiago mencionou no inicio do cast sobre como elementos visuais do livro costumam ser traduzidos para o audiobook. A única experiência que me lembro de cara foi uma narração que eu encontrei uma vez voltada para o público deficiente visual. Quando havia uma figura (no caso do livro a maior parte das figuras eram mapas) ele começava a descrever o mapa, do tipo “Agora temos um mapa da ilha, na parte sudeste existe uma cidade grande. No sudoeste existe uma vila de pescadores. O norte da ilha possui uma série de fiórdes, que aparentemente impossibilita navios atracarem por lá…”, mas eu já percebi que a maioria dos audiobooks parece simplesmente ignorar certas figuras. Outra “tradução” que já vi é que muitas vezes o escritor se vale de fontes diferentes para descrever coisas diferentes (as vezes ele marca em itálico o que é pensamento do narrador, e em letra comum o que é fala, por exemplo) e o narrador do audiobook adiciona um “He thought” ou “He said” pra diferenciar um do outro.

    Não vou responder a TAG toda, mas vou usar a pergunta “qual o último livro que leu?” para fazer uma recomendação. Terminei meus dois últimos livros muito próximos um do outro. Um deles foi Legion: Skin Deep, do Brandeus, e o outro foi The Black Prism, primeiro volume da série Lightbringer, do Brent Weeks, e gostaria de deixar a recomendação desse último para vocês. Vocês vivem citando o famigerado “Show! don’t tell.” e esse livro é um baita exemplo. Acho que leitores do Brandon vão se dar muito bem com o Brent Weeks também. Além de mostrar tudo e contar muito pouco (inclusive eu gostaria que contasse um pouco mais), o livro é uma quebra de paradigmas sem fim. O protagonista da história é um garoto de 16 anos, negro e obeso. O ritmo é muito acelerado e dezenas de plot twists ao longo do livro. Enfim, prato cheio. Acredito inclusive que rende episódio pro cast. Espero que leiam e gostem!

    Abraços!

  • Isa Prospero

    ARTEMIS FOWL!!!!! Não lembro se já mencionei, mas é uma das minhas séries preferidas. Eu gostava até mais que Harry Potter na adolescência. E nunca vejo ninguém falando dela, mas no Sem Serifa e eu minha amiga mencionamos em praticamente todo vídeo e tag porque a gente não se conforma que todo mundo não conheça.
    E falando em coisas que recomendo sempre, Mel, se vc gosta de livros pra chorar, precisa ler A canção de Aquiles. Esse eu já devo ter falado inclusive, mas fica de novo a dica haha.
    Super divertido esse cast! Façam mais tags 🙂
    Bjs!

    PS: Proto, Elementary > Sherlock. #paz

    • Felipe Proto

      Cara, desculpa. O Sherlock dos livros jamais abriria uma cena sendo pego pós-sexo sadomasoquista com gêmeas em nome de experimentação social. O Sherlock do Benedict é muito mais plausível em relação ao personagem original; Mas, como estou escrevendo isso depois da 4a temporada, nada pode ser levado muito a sério…

Copyright Agentes do L.I.V.R.O. © 2014-2017