Amizade e relacionamento entre mulheres no mundo literário

26 de outubro de 2016

(Disclaimer: a imagem do post veio daqui! – e se você gosta de Sailor Moon, leia o post também porque ele é bem interessante!)

Há alguns meses, eu vi este vídeo interessante da Cece do canal Problems of a Book Nerd e fiquei com vontade de fazer um post a respeito deste assunto.

O que ela basicamente diz no vídeo dela é por que ela detesta essa relação de ódio entre garotas nos livros, a maneira como a relação entre elas é retratada, como o relacionamento costuma girar ao redor de um homem e por que isso é algo ruim. O que costuma acontecer em livros, sobretudo livros Jovem Adulto, é uma rivalidade acirrada entre duas garotas (geralmente entre a protagonista, que tem a certeza absoluta de que “não é como todas as outras meninas normais” e outra personagem que geralmente tem traços mais femininos).

A primeira característica desse tipo de relação que a Cece aborda diz respeito ao comportamento “eu não sou como todas as outras garotas”. Uma coisa que eu acho extremamente válida no que ela disse foi o seguinte: nenhuma garota no universo é exatamente igual às outras.
Uma das tendências mais interessantes na literatura voltada ao público jovem (sobretudo o público feminino) é a maneira como esteriótipos são fortemente incorporados aos personagens que se destacam na história. Por um lado, faz sentido que os autores queiram colocar essas etiquetas nos personagens: para que os leitores possam se identificar com o protagonista, são criados personagens que reúnem a maior quantidade possível de características genéricas. A garota popular geralmente é a mais bonita e feminina, que usa muita maquiagem e, no caso de livros escritos por autores norte-americanos, geralmente é a líder de torcida do time da escola. A protagonista costuma ser aquela menina tímida, que adora atividades mais intelectuais do que físicas e se considera feia (mas por alguma ironia do destino atrai o olhar de tudo que é tipo de rapaz do colégio – mas ela é a única que não sabe!). Este tipo de comportamento geralmente é reforçado por validação masculina (o comentário “você não é como todas as outras garotas que eu já conheci” como algo positivo), e isso costuma ser o ato que causa maior impacto na história. Apenas para nível de comparação, conte quantas vezes você lê “toda mulher usa maquiagem”, “toda mulher é vaidosa” e veja quantas vezes você lê “todo homem curte esportes” ou “todo homem gosta de dirigir”. Qual dos estigmas é mais forte?

Outro esteriótipo bastante utilizado é o da menina que “não se socializa com outras garotas porque não gosta de drama”. Eu acredito piamente que todo ser humano que se preze tem problemas, sejam eles familiares, sociais, físicos ou psicológicos. O que difere uns dos outros é a maneira como esses obstáculos afetam as vidas delas e de todos ao seu redor, e a maneira como elas reagem a isso. O mundo não é tão preto no branco a ponto de dizermos que “todas as mulheres são rainhas do drama”. Algumas pessoas são mais vocais com relação aos próprios problemas. Algumas pessoas preferem agir e fazer com que o menor número possível de amigos e familiares saiba o que está acontecendo. Isso é inerente ao comportamento de cada ser humano, e não ao gênero do mesmo.

Agora, o tema central que eu gostaria de discutir neste post diz respeito a garotas se odiando nos livros (ou, como a Cece diz, o famigerado “Girl Hate“). E, novamente citando a booktuber, não tem problema duas meninas se odiarem. As pessoas não são obrigadas a gostarem umas das outras, independente do gênero delas. No entanto, se existe uma rivalidade entre as duas personagens, eu acho extremamente importante que as razões pelas quais elas se odeiam sejam plausíveis. E sim, isso significa que o motivo pelo qual elas estão brigando pode não ser o amor de um homem. Eu sei que essa afirmação fere muitos egos masculinos, e sim, existem mulheres que brigam por homens. A grande questão aqui é que isso não deve ser o único motivo pelo qual duas mulheres se odeiam. Isso é uma idéia que eu tenho tentado reforçar em praticamente todos os episódios do podcast: as mulheres não se odeiam gratuitamente, e a vida delas não gira ao redor do universo masculino. Mulheres conversam sobre muitas coisas, assim como homens conversam sobre muitas coisas. Sim, mulheres conversam sobre ciência, política, carros, problemas sociais e uma infinidade de outros assuntos. Por que existem tantos livros que fazem questão de retratar conversas entre mulheres como sendo
1. maquiagem
2. moda
3. outros homens?

“Ai, Melanie, mas é sobre isso que as mulheres falam!”
As mulheres falam sobre esses assuntos, sim. O meu ponto é que elas não falam APENAS sobre isso.

Estamos em 2016, caríssimos. O mundo está mudando (e espero que para melhor), o acesso a informações está muito mais fácil do que há 10 anos. Assim sendo, por que alguns conceitos de relacionamento entre mulheres parecem continuar os mesmos que os que tínhamos nos anos 60?

E vocês? O que vocês acham deste assunto? Eu e a Cece estamos falando muita balela ou vocês concordam com isso? Deixem-nos seus comentários!

  • @hialee

    Eu estava até conversando com uma amiga sobre isso. Existem milhões de histórias sobre a amizade entre homens, tem até nome pra isso “bromance”. E já sobre mulheres, cadê as amizades femininas marcantes na literatura, cinema e etc???. Eu não consigo pensar em nenhum exemplo, nem de histórias sobre a amizade delas, ou em que elas até sejam inimigas, mas que o motivo não seja homem e que não envolta traição. Tenho que fazer uma pesquisa específica pra ver se encontro, lendo naturalmente uma história dificilmente eu acharei.

    • Eu acho que consigo contar nos dedos as histórias que retratam amizades bacanas entre mulheres, mas mesmo assim são pouquíssimos títulos se compararmos com o tanto de livros que temos com amizade entre homens. O que eu consigo lembrar de cabeça… Fangirl, da Rainbow Rowell, Six of Crows da Leigh Bardugo, Trono de Vidro (só o primeiro livro, não si o resto da série) da Sarah J. Mass e Uprooted da Naomi Novik. Agora, sentimento de inimizade/rivalidade que não seja relacionada a homens? Hm… Jogos Vorazes conta?

Copyright Agentes do L.I.V.R.O. © 2014-2017