Tag: Por que eu sou um(a) leitor(a)

28 de setembro de 2016

(Disclaimer: a imagem do post veio daqui!)

Antes de darmos continuidade aos posts de book haul (spoiler: tem pelo menos mais três a caminho!), encontrei esta tag no YouTube da Reagan do PeruseProject e achei que seria interessante responder a ela. Acho que todo leitor também tem uma história a contar, e os livros que moldaram os gostos de uma pessoa dizem muito a respeito dela. Então, ‘bora para a tag!

Disclaimer: eu vou fazer uma tradução livre das perguntas. Caso encontrem algum erro de tradução, sintam-se à vontade para me corrigirem!

1. Escolha uma palavra que descreveria você como leitor.
Eu diria que sou uma leitora disciplinada. Não importa o quão longo e cansativo tenha sido o meu dia, eu sempre tenho alguns minutinhos reservados apenas para leitura. Do jeito como o mundo está louco, para muitos esses minutinhos são um luxo. Para mim, são um hábito saudável que eu faço questão de manter e cultivar.

2. Qual foi o primeiro livro que fez você se apaixonar por leitura?
Provavelmente foi o livro Meu Pé de Laranja Lima, do José Mauro de Vasconcelos. Eu tenho um carinho imenso por este livro (mesmo que não o tenha mais em mãos) e lembro que o reli muitas vezes quando era criança.

3. Capa dura ou paperback?
Depende do livro e de onde vou ler. Eu acho paperback muito mais fácil de manusear e de carregar comigo, mas detesto o fato de que ele solta tinta nos dedos e a espinha dele vai rachando dependendo de como você o segura. Livros de capa dura ficam lindos na estante e se assentam bem na mesa, mas geralmente são mais caros, pesados e meio ruins de carregar na mochila.

4. Como o hábito da leitura moldou sua identidade?
Eu acredito que a razão pela qual eu não me sinto muito inibida com relação ao meu vocabulário se deve muito ao fato de eu sempre ter tido acesso a livros e, por grande parte da minha vida, ter tido o hábito de ler um pouquinho todos os dias. Isso mudou um pouco durante a minha adolescência, período em que ler deixou de ser uma atividade prazerosa e se tornou uma obrigação. A partir do momento em que a obrigatoriedade de ler livros que não me interessavam deixou de existir e eu ganhei novamente a minha liberdade para escolher coisas de meu interesse, o hábito voltou aos poucos e, depois que eu passei a trabalhar, ele parece ter ganho força total. Se me pedissem para abandonar um hobby, eu provavelmente abandonaria qualquer um, exceto dois: ler e escrever.

5. Que livro você lê quando quer se sentir confortado?
Eu não tenho um livro específico (por enquanto). Geralmente eu releio algum livro cuja história eu já conheça e que eu goste.

6. Quem influenciou ou te ensinou a ser um leitor?
Minha família materna sempre foi muito favorável a esse hábito e em praticamente todas as ocasiões especiais eu ganhava um ou dois livros, mas a lembrança mais forte que eu tenho relacionada à leitura é a da minha mãe me levando na biblioteca pública pouco tempo depois que ela me ensinou a ler. Eu sempre lembro dela escolhendo um ou dois livros e lendo comigo ao meu lado, e também lendo histórias para mim antes de dormir.

7. Descreva seu cantinho de leitura dos sonhos.
Para ser sincera eu não tenho muitas ressalvas quanto a lugares para ler. Eu sou o tipo de pessoa que lê até de pé no ônibus se o livro estiver muito bom, e também sou a pessoa que lê deitada no chão do meu quarto quando o sol bate no piso em preguiçosas tarde de domingo, então não sou parâmetro algum. Mas se eu pudesse, provavelmente faria um forte de cobertores e almofadas e leria por ali, deitada toda torta que nem um cachorro com sono.

8. Que livro mudou a maneira como você vê o mundo?
Todo livro que eu leio abre um pouquinho mais a minha mente. Seria injusto atribuir essa qualidade a um único livro. Se o livro for bom, eu conheço um universo novo, entendo um pouquinho melhor como a mente humana funciona, passo a ter um pouco mais de empatia com pessoas com problemas diferentes dos meus. Se o livro for ruim, eu entendo um pouco mais o autor, o estilo de escrita, os erros que eu não devo cometer e, por incrível que pareça, passo a entender um pouco mais sobre mim mesma, sobre as coisas que me agradam e me desagradam. Acho que todo livro tem uma lição valiosa a ensinar.

E vocês? Vocês também têm uma hora do dia reservada só para ler? Deixem-nos seus comentários e sintam-se livres para responder a tag também!

Copyright Agentes do L.I.V.R.O. © 2014-2017