Neste episódio Melanie e Thiago discutem o que é o tal do “mostre, não conte” que eles tanto falam.

Contatos

Leitura do mês

Emails

Leituras da Semana

Para Ler

  • Melanie
    • Crooked Kingdoms, Leigh Bardugo
      • Lançamento previsto nos EUA: 27 de Setembro de 2016
  • Thiago

Mostre! Não conte

  • Isa Prospero

    Olá, caros!

    É uma pena que Mistborn não esteja completo em português ainda, porque definitivamente seria minha recomendação para começar com Sanderson. Foi a primeira série que eu li e consolidou meu amor por ele, embora eu tenha gostado bastante de Elantris também. E, pra ler em inglês, eu recomendaria The Emperor’s Soul – é mais curto, mas ainda das fantasias da Cosmere.

    Sarah Scribbles! Me identifico demais tb, hahaha <3

    Vcs mencionaram histórias que começam descrevendo o tempo e a primeira coisa que eu pensei foi… "Ash fell from the sky". (BRINCADEIRA BRANDON TE AMO)

    Acho que o "mostre não conte" realmente é mais difícil em fantasia/FC, não só pq o autor precisa apresentar o mundo, mas pq às vezes ele tb tá looouco pra te contar tudo que inventou e o mundo que passou não sei quanto tempo construindo (enquanto vc só queria saber sobre os personagens, rs). E é bem verdade que correm o risco de subestimar o leitor, mas acho que isso ocorre naturalmente na escrita (é muito difícil adivinhar o que o leitor vai entender, pra não falar que cada leitor tem seu próprio ritmo… acho que só com leitores alfa/beta dá pra ir ajustando isso).

    Achei interessante vcs mencionarem esse "movimento" atual que tende para o mostre, porque gosto muito de romances clássicos ou mais antigos que "contavam" tudo, e fico me perguntando se um estilo parecido realmente não funcionaria hoje, ou se pareceria datado. Enfim, gostei muito do tema do cast e apoio novas discussões desse tipo!

    Abraços,
    Isa

    • Fala, Isa!

      O Brandon tem tantas opções ótimas para se começar que acaba sendo difícil ter que escolher só uma opção. É até por isso que eu não sou muito fã de perguntas como “qual seria a minha recomendação para começar a ler livros do Brandon Sanderson?” porque isso varia MUITO de pessoa para pessoa. Eu comecei por Steelheart e penso que não poderia ter escolhido melhor, mas sempre tem aquela pessoa que não curte fantasia ou não curte sci-fi ou não tem o hábito de ler, então fica tenso!

      Uma coisa que eu pensei com relação ao começo que você mencionou do Brandon é um exemplo MUITO legal de início de livro, porque ao mesmo tempo em que o livro começa com uma “descrição climática”, é uma frase brilhante, porque logo de cara ela já te situa no universo: ou a história começa perto de um vulcão, ou tem algo terrivelmente errado acontecendo aqui, ou o universo em que a história acontece é completamente diferente daquilo que conhecemos. Eu acho o Brandon um mestre em primeiras frases de efeito!

      Com relação a livros mais antigos e romances clássicos, acho que depende do autor. Um bom autor consegue usar o estilo dele de uma forma que o livro não data. Talvez a própria Jane Austen seja um exemplo bem interessante disso… ou não, porque até mesmo para aquela época ela era uma escritora extremamente revolucionária!

  • Vicente Aguiar

    Olar agentes!

    Comentário de hj vai ser rápido, tenho 2 pontos a falar:
    1- Não vejo problema nenhum em começar a ler Brandon Sanderson por Elantris. Eu comecei por ele e lembro que na época fiquei impressionado com o quão criativo e bem escrito o livro é. Assim como em outros livros do autor, dá pra perceber logo de cara que ele é acima da média. Considero ele bom o suficiente que acho vantagem ele ser o mais ‘fraco’ do Sanderson, a partir daí só melhora.
    2- Sobre ler em inglês, acho que vcs tem que falar de livros que só tenham em ingles sim. Descartando a importancia absurda de saber outra lingua (e ingles provavelmente é a mais util), já temos vários podcasts de literatura que falam só de livros em portugues, acredito que esse seja um diferencial bem interessante de vcs. Foi por isso que comecei a ouvir, inclusive (procurando casts em pt sobre o Brandon Sanderson. queria especificamente em pt pq o formato de podcasts americanos é muito diferente e não me agradam tanto).
    Acho que vcs falaram no começo sobre a importancia de não parar de ler em ingles etc. Quero só citar que quando eu comecei a ler em ingles, eu já tinha “experiencia” de cerca de 2 anos no Reddit, acessando todos os dias lá e não tendo problema nenhum com entendimento. Me sentindo confiante que não teria problemas pra partir pra literatura, comprei American Gods e tive uma dificuldade ABSURDA. É incrível a diferença entre fórum na internet e literatura. Desisti e parti pra ler o segundo livro de Mistborn que não tinha sido traduzido na época e lembro de parar várias vezes por capítulo pra usar o dicionário do Kindle e entender o significado de vários adjetivos, além de me perder constantemente em tempos verbais. Isso foi diminuindo cada vez mais, e hoje (!) cheguei ao meu 50º livro lido em inglês, não tenho mais problema nenhum com ritmo etc.
    Não sei bem qual foi o propósito de contar isso, mas achei que cabia acrescentar ao fato que inglês é essencial.

    Abraços

    • Olar, Vicente!

      O seu comentário com relação a Elantris foi interessante porque um amigo meu começou a ler por esse e gostou muito. Isso me fez pensar que a escolha do primeiro livro do Sanderson acaba, na minha opinião, dependendo da bagagem literária de uma pessoa. Eu percebi que, para pessoas que têm uma bagagem literária maior, não é todo livro do Brandon que funciona. Tenso!

      Com relação a livros em inglês, eu na verdade fico feliz em saber que essa nossa abordagem com relação à escolha tenha funcionado para você! Essa foi uma de nossas preocupações maiores quando estávamos tentando descobrir a identidade do nosso cast (e, acredite, continua sendo uma preocupação constante) e ainda hoje ocasionalmente recebemos críticas por praticamente só falarmos de livros em inglês/sem previsão de sair no Brasil. Tentamos ser o mais inclusivos possível, mas é bem difícil agradar a gregos e troianos ao mesmo tempo que fazemos do cast algo divertido para nós. Se funciona para você, então quer dizer que ALGUMA COISA nós estamos fazendo certo!

  • Jefferson dias

    Eu di novo pra contrariar o tema XD
    Ouvindo vocês falando, lembrei do filme cloverfiled, só que o filme faz o contrário: ele conta o que esta acontecendo e não mostra…..só que quando mostra, o filme fica um pouco chaaato, mostrar o motivo causador de todo o problema foi o que fez o filme dar uma caida no final, mas o filme inteiro ele deixa subentendido o que é, mas não mostra e isso é a parte legal.
    Era só isso, só pra ser diferente como sempre XD

    • Fala Jefferson! Você não vai acreditar, mas eu concordo com você!

      Quando o assunte é filme, realmente o mostre pode ser absurdamente chato. Quando a história é contada em um livro é justamente o oposto que acontece. Quando o autor me conta uma cena ou sensação, é como se o filme tivesse me mostrado o monstro quando não devia.

      Abraços!

  • Eduardo Fernandes

    Fala pessoal!
    Passando só para deixar um livro para quem se interessa pela temática do 12 Anos de escravidão, leiam A Ilha sob o mar da Izabel Allende.Trata de uma escrava no Haiti e suas dificuldades além de acompanhar a luta pela liberdade e fim da escravidão!

Copyright Agentes do L.I.V.R.O. © 2014-2017