Neste episódio, Melanie e Thiago discutem sobre o cruel e aterrorizante assunto: SPOILERS!

Contatos

Leitura do mês

Leituras da Semana

Para Ler

  • Timóteo Rezende Potin

    E aí Agentes? Tudo bem? Mais uma vez excelente episódio. Concordo com praticamente tudo que vocês colocaram. Particularmente sou meio spoilerfóbico e não leio nem sinopse dos livros na maioria das vezes. Só colocar duas situações curiosas que tive com spoilers.

    Um dos maiores spoilers que eu tomei meio que sem querer querendo foi um spoiler de Death Note (aquele spoiler. Quem viu sabe…). Só que o único spoiler que eu tive foi que eu sabia o que ia acontecer. Eu não sabia como nem quando ia acontecer. Isso criou uma expectativa e uma angústia tão absurda vendo os episódios que eu ficava o tempo inteiro tenso e pensando “meu Deus, é agora!!” e não acontecia e eu ficava “Ufa! Posso respirar…”. E o mais legal é que quando finalmente aconteceu, eu não estava esperando então eu ainda tive um certo fator surpresa. Acho que eu gostei mais do anime tendo levado esse spoiler do que teria gostado se eu não soubesse, visto toda a montanha russa de emoções que foram intensificadas devido o fato de eu saber desse acontecimento.

    Outro caso que eu tive com spoilers foi ter tomado spoiler do próprio livro em A Clash of Kings (Fúria dos Reis no Brasil, 2o livro das Crônicas de Gelo e Fogo). Eu tinha o hábito de ler consultando os apêndices porque afinal são 124354 personagens e eu ainda não conseguia me localizar para saber quem era quem na história e aqui na edição Brasileira os apêndices vem com uma marcação (o nome do personagem vem entre chaves, tipo assim {Personagem}) para indicar se um personagem está vivo ou morto. Acontece que no segundo livro tinha um personagem que figurava para ser alguém importante para o futuro dos livros (de fato tem sua importância) mas que já era tratado como morto pelos apêndices! É óbvio que não deu outra e lá pelas páginas 150~200 o personagem realmente foi assassinado. Depois disso eu sempre que vou em livraria dou uma folheada nos apêndices de Fúria dos Reis para ver se eles corrigiram isso/Até a última edição que eu livro eles ainda não tinham corrigido.

    • Fala, Timóteo!

      Eu estou chegando à conclusão de que todo mundo que já leu/assistiu Death Note tomou exatamente o mesmo spoiler. Eu lembro que quando eu estava lendo os primeiros capítulos, alguém já me contou o final logo de cara e emendou com “mas na verdade Death Note acaba é na metade do mangá”. Com essas duas frases, eu já meio que comecei a imaginar como as coisas iam se desenrolar. No caso de Death Note os spoilers acabaram não me incomodando muito porque eu já desconfiava de qual seria o final da história e qual era o tal do acontecimento na metade da série, mas o foco sempre foi MUITO forte do desenvolvimento do plot em si.

      Por incrível que pareça, eu consegui desviar de praticamente todos os spoilers da série A Song of Ice and Fire (com exceção da primeira morte significativa do primeiro livro), mas uma coisa engraçada que eu já vi no booktube foi justamente uma menina folheando o livro no meio do video, depois falando “…eu acabei de dar um spoiler a mim mesma”. Acho que no caso específico de ASoIaF os spoilers da morte de personagem estragam BASTANTE a experiência, por mais que o foco da história não seja “personagem X morre” ou “personagem Y morre”. Okay, o enfoque político é forte e bem estruturado, mas eu acho que as mortes de um ou outro personagem são o que pontuam a história.

  • Jefferson dias

    Opa! me senti desafiado!?
    “”Spoiler”” – odeio quem odeia spoiler (momento babaca)
    Esse negócio de quem odeia spoiler porque estragada experiência não faz sentido, se não existisse spoiler “você não seria você”, o spoiler é o fato de você querer transmitir algo para alguém de uma alguma coisa que você descobriu ou goste e etc, para que a outra pessoa também goste(ou não). A ” transmissão de conhecimento” é um spoiler, o autor que escreve um livro teve uma ideia, imaginou uma historia tão legal, que ele quer que outras pessoas também leiam aquilo, isso é spoiler cara!!!!
    Para com isso de achar que só porque uma pessoa sabe de uma coisa que você não sabe, não pode, não quer saber, é algo ruin ou vai estragar a sua experiência em descobrir e blá blá blá.
    “Não existe spoiler ruin, existe o spoiler mau dado”, tipo aquele spoiler que não é spoiler porque ele não existe, ou não acontece naquele obra ou assunto no qual você esta interessado.
    Sabendo como “dar o spoiler” não tem problema algum, a pessoa fica com aquele questionamento “será que é isso?” “será que acontece?”. Muitas vezes, como vocês mesmo já disseram, o mais importante é a jornada, não o resultado!
    Pô, não existe spoiler de star wars. Só porque eu sei que fulano morre, isso não me animou a ir ver o filme, star wars é previsível, eu já sei o que esperar, e mesmo assim, eu não tenho pressa para ver o filme.
    Pegando outro exemplo recente: Deadpool.
    Já fazia um bom tempo que eu fui ao cinema, levei spoiler por tudo que é lado, vi todas as referências, piadinhas, houvi podcast e etc….mas mesmo assim, isso me deixou AINDA MAIS curioso para ver como era, e eu fui ao cinema ver o filme e entendi tudo o que eu já sabia sem precisar ficar pensando muito, eu queria ver como era (e quero mais). O fato de spoiler ter aparecido “sem eu pedir pra ninguém”, não estragou em nada a experiência “filme” que eu fui ter no cinema.
    Pra min(na minha opinião de merda) quem não gosta de spoiler, não quer ter/não tem sede de conhecimento.

    Nota: eu moro em são paulo e sei o que é avacalhar, eu tentei evitar isso agora, antes de escrever esse pequeno texto.
    Até um dia!✌

    • Fala Jefferson! Vamos lá…

      Eu até consigo entender a sua lógica de raciocínio nesse assunto mas infelizmente ela é furada por um motivo que você não mencionou: direito de escolha.

      Você não pode tirar de outra pessoa o direito de escolha dela a absolutamente qualquer coisa. Não importa o quão bem intencionado você é, se uma pessoa não quer algo, você não forçar forçar esse algo a ela. Pensando só nisso o ato de dar spoilers não requisitados é, no mínimo, um desrespeito com o próximo.

      Quanto a sua teoria de a história ser um spoiler am si fica um pouco mais complicado. Vou pegar um gancho seu sobre sede de conhecimento. O quanto de “arte” você conhece (eu particularmente conheço muito pouco)? E o quanto desse conhecimento você está disposto conhecer? Pois bem, um ponto bem peculiar da arte é o fato dela ser mais que conhecimento puro. Até onde eu sei não existe nenhum artista que não faça a sua obra com o intuito de passar algum sentimento a quem consome. As vezes esse sentimento é de alegria. As vezes esse sentimento é de surpresa. Se antes de consumir este trabalho você sabe o que vai acontecer, como você pode experimentar a surpresa que o artista trabalhou pra te passar?

      Volto ao meu exemplo do filme Sexto Sentido. Não importa quem assista, se a pessoa sabe do plot final antes do filme ela vai achar a experiência bem mais ou menos. Esse filme foi feito de uma forma que a “surpresa” é parte integrante da obra!

      ——– SPOILERS SOBRE SENHOR DOS ANÉIS ——–

      Não sei se você já leu os livros, mas na minha opinião, se você *sabe* que o Gandalf não morre com o Balrog, a cena em que o Pippin e o Merry reencontram ele perde toda a tensão! Naquele momento, você está crente que o Mago da Floresta é um Saruman da vida (senão o próprio) e que os Hobbits estão em perigo. Quando você descobre que é o Gandalf, uma *sensação* de alívio e felicidade toma conta do leitor!

      Veja, você saber disso de antemão não vai fazer a história ser pior, mas a sua experiência na jornada vai ser menos rica que a das pessoas que não sabiam disso.

      Eu particularmente gosto de absorver tudo que uma obra tem a me oferecer! Conhecimentos E sentimentos! Mas se você não tem sede de conhecimento sobre arte e o que ela pode fazer com as suas emoções, então está tudo bem, concordo que os spoilers não afetam a sua jornada!

      • Jefferson dias

        Então pra você a primeira impressão é a que fica. Se é bom é bom, se é ruin é ruin(a grosso modo, claro)

        Pegando esse exemplo ai do senhor dos anéis que você mencionou:
        VOCÊ: da esse “spoiler” e tal…..
        EU: “caraca!!! Como assim ele não morreu??? E ainda voltou mais fodão do que antes!!!”
        (Agora vem a minha frase/pergunta matadora. O que mostra que o spoiler não foi ruin)
        EU: “como isso acontece?” ou “como ele ficou assim?”
        O “seu spoiler” me deixou mais curioso, do que decepcionado.

        Eu entendo a parte da “escolha” e tal, mas falar que spoiler é ruin, é errado!!!! A não ser que a pessoa que der o spoiler, faça isso só pela sacanagem mesmo, ai eu concordo que foi ruin/maldade da mesma.
        É assim que funciona pra min, e não vou mudar só porque tem gente que acha o contrário.
        Claro que eu gosto de ter aquele mindblown e etc, mas eu to ficando velho, e a sensação já não é a mesma do que seria a alguns anos atrás.
        O legal não é ser diferente!!?? XD

        • Timóteo Rezende Potin

          O problema é que existem histórias que são feitas para vc curtir o desenvolvimento da mesma, sem importar o final. Outras são feitas pra vc ter o fator surpresa. Revelar coisas que deveriam ser um plot twist do caralho é meio que um desrespeito à história. A história é pensada para ser contada de uma forma e quando vc começa sabendo alguns finais, isso estraga a experiência. O exemplo do sexto sentido é o mais claro.

  • Timóteo Rezende Potin

    Outro comentário que eu gostaria de colocar é acerca da opinião do Thiago sobre livros que começam com o personagem velho contando a própria história. Nesse tipo de história, no momento em que o autor faz essa escolha, ele está colocando o foco no “como aconteceu” em vez de do “o que aconteceu”. É óbvio que o autor tem que saber escrever de forma que vc fique instigado a ler para saber o que aconteceu com aquele personagem para ele terminar daquela forma. Dois dos meus autores favoritos fazem uso muito bem desse artifício de metalinguagem são Bernard Cornwell e Patrick Rothfuss.

    No início das Crônicas de Artur vc já sabe como o Derfel termina, o que te espanta é ver a diferença entre o Derfel do passado e o do futuro: como o guerreiro que era amigo pessoal e braço direito do Artur, pagão convicto, se torna um monge cristão, velho, solitário e aleijado?
    Que diabos aconteceu na vida do Kvothe pra ele se tornar aquele estalajeiro dono do terceiro silêncio?
    No início das Crônicas Saxonicas a gente já sabe que o Uhtred não morre jovem e isso não torna os livros piores.
    Nesses livros é onde vale aquela máxima “o importante é a jornada, não o destino”.

    • Vicente Aguiar

      Dois exemplos perfeitos de livros que são FODAS e a gente sabe que o protagonista não morre e alguma coisa deu muito errado pras coisas estarem daquele jeito hahaha

    • Com relação aO Nome do Vento, isso foi inclusive uma das coisas que criticamos no podcast sobre esse livro. Okay, por qualquer que seja o motivo, o Kvothe resolveu contar o que acontece mais para a frente, mas deu para perceber como ficamos decepcionados, não? Tudo bem entendemos que o foco da história é o desenrolar dos fatos, e não o que acontece no final, mas puxa vida, será que não teria sido mais bacana se pudéssemos ter descoberto nós mesmos?
      Por outro lado, esse tipo de “tática” acaba trabalhando com a expectativa do leitor de maneira diferente, e talvez esse seja exatamente o objetivo do autor: criar uma expectativa nos leitores e ficar dando susto com a maneira como a história se desenrola. Nesse caso, acho que os tais dos spoilers são válidos, visto que eles fazem parte da experiência, da mesma maneira que os exemplos que o Thiago citou sobre o Hitchcock e, como mencionamos, cai no caso de que o spoiler é justamente uma das coisas que vendem o livro!

      • Timóteo Rezende Potin

        Ah, nesse caso “saber o final” não pode ser considerado spoiler. A História foi pensada para ser daquele jeito.
        Acho que aí é uma questão de gosto mesmo, mas eu particularmente adoro esse estilo e inclusive quando me arrisco a escrever, acabo recorrendo a esse estilo com bastante frequência.
        Uma das características que eu mais gosto nesse estilo é a possibilidade de contar várias histórias ao mesmo tempo. Nos dois livros que eu citei como exemplo isso aparece muito claramente. Existe a história da vida do protagonista sendo contada no passado e no presente existe uma outra história se desenrolando.

  • Vicente Aguiar

    Olá Agentes. Concordo com boa parte do que vcs falaram, e vou falar como eu fujo de spoilers:
    Eu não vejo trailer (só de filme que não ligo muito pra spoiler, tipo o novo do Capitão América) e definitivamente NÃO LEIO sinopse de livro. Já tomei spoiler umas 3x com sinopse, quando eu ja estava +- na metade dos livros e resolvi ler a sinopse. Tinha coisa que acontecia DEPOIS DA METADE do livro.
    Foda

    • Timóteo Rezende Potin

      Um livro que eu li recentemente que na minha opinião dá spoiler na sinopse é Warbreaker. Pra mim aquele trecho na sinopse que fala sobre o Vasher é spoiler desnecessário para entregar na sinopse.

      • Vicente Aguiar

        Caralho, mano, nunca tinha lido a sinopse de Warbreaker. Realmente é um PUTA spoiler, que bizarro.

    • Spoiler em sinopse de livro eu acho particularmente problemático, porque é geralmente ele quem vai me vender a história. Acho até que é por isso que eu tenho comprado mais livros por recomendações de booktubers e outros casters do que pelo sumário que eu leio na contra-capa ou mesmo nas descrições dadas pelo Goodreads. É uma tristeza quando você recomendações de livros, mas ao mesmo tempo quer saber a menor quantidade de coisas possível sobre a história para poder descobrir enquanto lê… =/

      • Vicente Aguiar

        Uma coisa que eu faço bastante também é baixar amostra do livro na Amazon, pra ter uma ideia do livro. Com os primeiros capítulos da pra ter uma boa noção do feeling do livro…

  • Marcela Abrantes

    Mesmo atrasada me senti compelida a comentar aqui primeiro pra avisar que acho que “avacalhar” é bem comum no Brasil haha, aqui no Rio a gente fala – só não é mais tão comum quanto já foi um dia.

    Mas sobre o assunto principal, acho que dar spoilers hoje é um esporte para muitas pessoas. Principalmente agora que Game of Thrones está de volta isso é muito perceptível porque parece que as pessoas querem competir para ver quem vai conseguir spoilar primeiro, fazer o primeiro meme com o spoiler e situações afins. Eu não sei como é isso no resto do mundo, mas eu, pelo menos, senti a situação piorar com todos os choques da série e dos livros e isso foi se espalhando para (quase) tudo.
    Normalmente fujo de spoilers não assistindo trailers, dando mute no twitter (temporariamente) em quem eu acho que pode soltar algo, não entrando no facebook e até pedindo para ninguém dar spoiler. Mas mesmo assim fica difícil fugir, ontem mesmo,almoçando no trabalho eu quase ouvi um spoiler GRAVE de Capitão América (que acabou de sair) e saí correndo da cozinha. Parece que temos que ficar atentos a tudo.
    Mas existem spoilers positivos. Tenho visto muitas pessoas compartilhando spoilers de cenas de estupros um pouco realistas demais, detalhadas ou longas, por exemplo, em séries, para alertar quem possa ter algum trauma com isso. Já recebi spoiler assim, sem querer, mas é o tipo de coisa que não me incomoda porque tem um propósito. E também já recebi spoilers (requisitados e não requisitados) que me ajudaram a decidir largar uma série de livros – Wheel of Time, no caso – o que foi ótimo especificamente pra mim, porque eu ia ficar mais desgostosa ainda (e puta) acompanhando o restante dos livros.

    Abraços!

    • Oi, fia! o

      Spoiler é DEFINITIVAMENTE um esporte para muitas pessoas. O tanto de reclamações que já li de pessoas que levaram spoiler de Civil War é uma coisa incrível, e essa galera que dá spoiler não entende que tem gente que não gosta de levar spoiler. Pra mim, é muito difícil entender qual exatamente é a graça de estragar a experiência que os outros podem vir a ter, seja com seriados, filmes, livros ou o que quer que seja. Como comentamos, nem todo mundo consegue (e nem tem a obrigação) de ver tudo no dia do lançamento. Diacho, muita gente NEM PODE ver tudo no dia do lançamento. Eu acho que essa questão de saber quando dar spoilers ou não devia ser senso comum: se a pessoa disse que não viu o filme ou seriado ou não leu o livro, não custa segurar os comentários para falar sobre isso mais tarde. A discussão não vai ser menos interessante. Muito pelo contrário, talvez deixar os pensamentos marinando um pouco seja capaz de fazer você pensar diferente sobre o que você acabou de assistir ou ler.

      Eu não sei se trigger warning pode ser considerado spoiler. Acho que neste caso em particular, é um aviso prévio e é benéfico. Pessoalmente, eu não gosto de livros com cenas de estupro, sobretudo porque em grande parte dos livros eles são meio que romantizados e acabam não tendo uma real importância para o desenvolvimento do personagem. No entanto, existem casos bem específicos em que esse tipo de cena é chave para o desenvolvimento do resto da história, como foi o caso de O Caçador de Pipas. A questão é que se algum tipo de mídia contém alguma cena específica capaz de engatilhar sentimentos ruins gerados por algum trauma, avisar da existência delas é praticamente obrigação (inclusive, sou uma daquelas que acha que devia existir trigger warning em contra-capa de livro). É muito fácil ignorar esse tipo de coisa quando não é você ou um ente querido que está passando por isso. =/

      Hi-five! o

  • @hialee

    Odeio com todas as minhas forças spoiler, até quando eu conto uma história pra alguém, eu pergunto se ela quer saber o fim. Como nenhum amigo meu ler livros, geralmente faço isso com filmes.
    O pior spoiler que peguei na vida, foi do final de Dexter, a série. Uma amiga resolveu assistir a série pela penúltima temporada pra acompanhar o irmão. Um dia, quando a série já tinha acabado ela me perguntou se eu já tinha acabado e eu falei que não pq estava com pena de acabar. E pedi pelo amor de deus pra ela ficar queita, pois por pura maldade ela me contou. Confesso que até minha relação com ela mudou. Sério mesmo. Só faltou eu tampar os ouvidos e ela ficar gritando no meio do shopping o final.
    Depois disso demorei um ano pra ver o bendito último episódio.

    Sobre livros, comecei a ler elantris e fui procurar umas imagens pra me situar nos personagens, ainda não terminei de ler,mas já tenho certeza que vi o que não deveria 🙁
    A mesma coisa com um dos livros do Percy Jackson, logo de cara vi uma imagem dizendo que tal fulano morria afffffffffffffffff.

    Thiago não sei se vc já leu o eu sou mensageiro, mas ele é meu livro preferido de história única. Tem uns 3 anos que li ele e volta e meia leio uns trechinhos. É uma história bem leve e de leitura rápida. Só acho que vai perder o lugar de livro preferido quando eu terminar Elantris, pq eu tô amando demais até agora e tô até com pena de acabar.

    • Eu acho que, independente do quão velho seja um livro, filme ou jogo, todo mundo devia ter o direito de escolher se quer ou não ouvir o final dele. Acho que spoilers não-requisitados são quase um ataque pessoal. E, ressaltando o que falamos nesse episódio, não é todo mundo que tem tempo para acompanhar livros, filmes e séries a partir do momento em que eles saem.

      Acho que com relação a Elantris, mesmo que você supostamente tenha tomado spoilers a partir de alguma imagem, ainda vale a leitura. Bastante coisa inesperada acontece! 😀

      Aliás, vendo a data do comentário, imagino que você tenha terminado a leitura, não?

      • @hialee

        Ahhhhhhh terminei sim. Gostei tanto do livro que fui lendo bem de pouquinho, pra não acabar logo. Entrou pra minha lista dos favoritos e já estou me preparando pra comprar os outros do autor, e espero gostar tanto quanto esse.

Copyright Agentes do L.I.V.R.O. © 2014-2017