Discussão: Y: The Last Man volumes 9 e 10

16 de dezembro de 2015

E no post de hoje, finalmente chegamos à conclusão da série de graphic novels Y: The Last Man! Foi uma série de posts bem longa, mas foi uma viagem bem interessante. Devo dizer que fiquei um pouco decepcionada com a maneira como a história terminou e senti que faltaram alguns esclarecimentos. Algumas coisas ficaram meio corridas ou até mesmo absurdas, mas gostei de vários aspectos da história, sobretudo da representatividade. Adorei a variedade de etnias, orientações sexuais e tipos de personagens retratadas ao decorrer da história, achei muito interessante os diversos pontos de vista e as pessoas em si. Mesmo os arquétipos femininos tão comumente retratados não são tão clichezescos (a dona de casa, a mocinha rica e mimada, a guerrilheira…). Apesar de não ter sido a minha história preferida (como já mencionei anteriormente, os volumes de Saga que já foram publicados dão de 10 a zero nessa série, na minha opinião), foi uma série que fiquei bem feliz de conhecer e que, no pior dos casos, tem várias referências ótimas de como desenhar mulheres de diferentes etnias! Eu daria três estrelas justas para a série inteira e recomendo para quem quer ler uma história diferente.

E se você ainda não viu os posts anteriores de discussão sobre a série, eis os links:

Bom, agora que já dei meu veredito, vamos agora entrar na seção de spoilers!

Estamos nos aproximando do desfecho da história e eu não posso deixar de manifestar minha leve decepção com relação à Alter. Eu a achei uma personagem muito interessante e, ao mesmo tempo, bastante complexa. Ela é bem mais “fria” que a 355, mas pelo que vimos do flashback, ela não é uma personagem completamente desprovida de sentimentos. Naqueles momentos em que ela tem os monólogos dela, eu realmente gostaria de ter conhecido o outro lado da personalidade dela. Eu gostaria de ter visto talvez um pouco mais do passado dela com a Sadie, e como a traição da Sadie a tinha afetado.

Temos também a conclusão que eu considero meio absurda do pai da Alisson, vemos o que aconteceu com a Waverly (lembram-se da modelo que o Yorick conheceu em Unmanned? Pois é, ela ainda está lá!) e o final do grupo de atrizes que andava pelas cidades encenando peças de teatro.

No volume final, Yorick finalmente se encontra com a Beth e acaba acontecendo algo que eu já imaginava que ia acontecer: a Beth confessa que ia dar um fora nele lá no primeiro capítulo, durante a conversa que eles estavam tendo antes que tudo aquilo acontecesse.

Eu até agora estou me perguntando se realmente havia necessidade de romance entre a 355 e o Yorick e aquela cena da Alter em uma missão meio suicida, mas acho que isso é implicância da minha parte mesmo.

De resto, temos o desfecho da história em si e de cada um dos personagens. O processo de clonagem é bem sucedido, o mundo volta aos eixos e, pelo ponto de vista do Yorick, vemos como terminou a história de cada uma das protagonistas.. ou quase. Achei que o final da Alter ficou meio vago (embora tenha achado que a cena do Yorick com uma pistola na frente de um exército de mulheres fortemente armadas tenha sido algo relativamente interessante e simbólico), o da Rose e da Dra. Mann… não sei se foi um final justo. Hero e Beth juntas foi algo que eu não esperava. Eu tinha esperanças de que a Hero ficasse com “a outra Beth” no final, visto que elas pareciam bem amigas, mas no final de contas, não passou de amizade. Uma pena, elas se combinavam bem.

Mencionou-se que a Natalya adquiriu um cargo político no final das contas, e que o inglês dela finalmente melhorou, mas ao mesmo tempo achei uma pena que ela não tenha sido mostrada, ela foi a minha segunda personagem preferida na história.

O que não foi bem respondido para mim nesta conclusão de história:

  1. O que houve com a repórter do volume 7, que tinha publicado a manchete com a foto do Yorick nu?

  2. Que fim levou a You? Ela era uma personagem bem bacana!

  3. Nos volumes anteriores, deixou-se subentendido que alguns dos macacos usados nos experimentos do pai de Alisson tinham escapado de suas gaiolas depois de jogar fezes em dois funcionários do aeroporto. Qual exatamente foi a finalidade daquela cena? Fica bem claro depois que o Ampersand foi o único macaco que recebeu a vacina, e durante o processo de envio, ele acabou se infiltrando em um compartimento de bagagens e chegou até o Yorick, mas se nenhum dos macacos tinha a cura para o mal que matou quase todos os homens do planeta, qual foi a finalidade daquela cena senão para mostrar que existia a possibilidade de existirem mais homens sobreviventes no planeta?

Enfim, com estas perguntas, concluo minha série de posts sobre Y: The Last Man aqui no blog, e finalmente podemos voltar à nossa programação normal.

E vocês? O que acharam dos graphic novels? Gostaram? Não gostaram? Gostaram, mas sentiram que faltou alguma coisa a mais? Deixem-nos suas opiniões nos comentários!

Copyright Agentes do L.I.V.R.O. © 2014-2017