Bem Vindo ao Futuro Sombrio

11 de novembro de 2015

No meu post anterior eu falei um pouco sobre um dos meus hobbies: Warhammer 40K.

Este post é a segunda parte da “série Warhammer” do blog. Se você não viu o post anterior pode ir ler lá que eu te espero:

Um dos motivos pelo qual eu quis escrever um post sobre Warhammer em um site literário foi a rica história de fundo do jogo. Então, nesta parte, vou dar uma visão geral de toda essa loucura.

Eu vou tentar uma forma diferente de contar isso aqui e vocês me digam se gostaram ou não :).

Warhammer 40K

Milênio 40: Via Láctea

A humanidade está em colapso. Diversas raças de seres inteligentes tentam estabelecer seus domínios em várias partes da galáxia, e a, outrora onipotente, presença humana já não consegue rechaçar este avanço.

Não existe um único santuário para os humanos. A guerra por sobrevivência é constante e a linha que separa o certo do errado está mais borrada que nunca. A fim de manter a pouca união da parte da raça humana que não foi dominada pelos deuses do Caos, o império criou um regime militar, intolerante e religiosamente fanático que mantém seu domínio no que restou da galáxia.

Mas como chegamos até aqui? O que deu errado?

Para responder essas perguntas temos que voltar aproximadamente 40.000 anos na história!

A Era do Progresso

Não é muito claro quando aconteceu, mas em algum momento no início dos primeiros 15.000 anos de existência da humanidade, nasceu um humano com poderes mentais nunca vistos antes. Este “mutante” foi único e acredita-se que ele tenha sido a reencarnação de 6 outros, das primeiras eras, que decidiram se unir em apenas corpo. Usando seus poderes, esse ser conseguiu unificar a humanidade e assumiu o título pelo qual é conhecido desde então: O Imperador.

O Imperador

Virtualmente imortal, devido ao seus poderes, o Imperador guiou a humanidade ao seu ápice tecnológico, permitindo assim, a colonização de outros planetas em nossa galáxia.

Por volta do ano 15.000, umas das mais revolucionárias descobertas realizada, foi a existência da “Warp”, uma espécie de universo paralelo que poderia ser usada para navegar grandes distâncias em pouquíssimo tempo (algo como um buraco de minhoca). Embora não se soubesse muito sobre a natureza deste novo universo, com a ajuda de mutantes especializados em navegação da Warp (chamados Navegadores), a humanidade foi capaz de utilizá-la para fazer viagens interestelares, e então colonizar grande parte da galáxia.

A Era Negra da Tecnologia

Por volta do ano 25.000 um fenômeno conhecido como as “Tempestades Warp” tornou impossível a navegação de longa distância, fazendo com que a humanidade se fragmentasse pela Via Láctea.

Tempestade Warp

Esta fragmentação também afetou o compartilhamento de conhecimento e tecnologia; sendo assim, muito pouco se sabe sobre este período.

A Grande Cruzada

Aproximadamente no ano 30.000, as Tempestades Warp cessaram e o Imperador decidiu que era hora de unificar a humanidade novamente.

Grande Cruzada

Para tal, Ele decidiu criar, com seu próprio DNA, os líderes de Suas legiões militares. Os 20 humanos geneticamente modificados (conhecidos como os Primarchs), seriam os responsáveis pela Grande Cruzada da Unificação.

Infelizmente, após conceber os Primarchs, um evento misterioso fez com que eles fossem sugados para dentro da Warp e jogados em pontos distintos da Via Láctea. Embora a matriz genética de Suas criações estivessem perdidas, o Imperador decidiu utilizar um processo similar para alterar geneticamente seres humanos, tornando-os super soldados conhecidos então como os “Space Marines”. Como o processo de alteração foi substancialmente mais simples que o de criação, 20 legiões (uma para cada base genética de um Primarch) de Space Marines foram criadas para ir de planeta a planeta, fazendo com que estes, reconhecessem o Imperador como o Imperador da Humanidade.

Para a surpresa de todos, após vários anos os Primarchs foram sendo encontrados como líderes naturais dos planetas aonde foram jogados e, depois de reconhecer todos eles, O Imperador cedeu o controle de cada uma de Suas legiões aos devidos Primarchs. Neste momento, a unificação era praticamente inevitável e iminente e o Imperador decidiu voltar a Terra deixando a liderança da Cruzada nas mãos de seu filho preferido: Horus.

Horus

Continua no próximo post…

  • Arthur Oliveira Alves

    Thiago eu que apenas joguei os jogos de RTS não tinha ideia do lore incrível sobre o imperador e o começo da humanidade é uma pena que não tenha nenhum livro da serie traduzido para o português.

  • André Mousinho

    Olá, Thiago! Chamo-me André e só agora, um ano depois de sua última postagem, é que descobri este maravilhoso mundo de Warhammer 40K. Seus dois posts foram fantásticos! Parabéns, fez-me gostar ainda mais do jogo! Mas você conclui com a Heresia de Horus? Existe esse texto? Escreva! Seu trabalho é sensacional! Um grande abraço!

Copyright Agentes do L.I.V.R.O. © 2014-2017